Blog do JJP - Notícias Populares do Maranhão

Secretário Márcio Honaiser é eleito presidente do Fonseas

Secretário Márcio Honaiser (Foto: Divulgação)

O secretário de Estado do Desenvolvimento Social, Márcio Honaiser, é o novo presidente do Fórum Nacional de Secretários de Estado da Assistência Social (Fonseas), gestão 2020-2021. Honaiser entra para o time de secretários de Estado e gestores do Governo do Maranhão que ocupam a presidência de diversas entidades nacionais.

A eleição ocorreu de forma virtual, nesta terça-feira (11), com a participação de vários secretários estaduais de Assistência Social. O Fonseas é uma instância de articulação política com o objetivo de discutir ações e a operacionalização da assistência social, dentre outras demandas.

Para o secretário Márcio Honaiser, a eleição representa a boa execução do trabalho que a Sedes realiza no âmbito da Assistência Social. “Este é mais um reconhecimento ao trabalho do nosso governador Flávio Dino e de toda a equipe da Sedes, que cada vez mais se torna referência nacional, além de ser reflexo da vontade de um Sistema Único de Assistência Social (SUAS) cada vez mais forte. Mais um desafio em que daremos o nosso melhor”, afirmou o secretário.

Além de discutir, negociar e pactuar as ações e a operacionalização da assistência social, o Fonseas acelera o processo descentralizado e participativo da assistência social, fortalece a articulação com as demais instâncias do Sistema Único de Assistência Social – Suas, o Poder Executivo, Legislativo e Sistema de Justiça, para garantir a cobertura e eficiência da Política de Assistência Social.

Márcio Honaiser é engenheiro Civil, militante do PDT, deputado estadual licenciado, ex-secretário de Agricultura e atual secretário de Desenvolvimento Social do Governo Flávio Dino.

Erlanio Xavier antecipa 13º dos servidores de Igarapé Grande para dia 10 de abril

O prefeito de Igarapé Grande, Erlanio Xavier, anunciou que pagará a primeira parcela do 13° salário dos servidores municipais no próximo dia 10 de abril.

De acordo com o prefeito, o ano de 2020 foi difícil, devido à crise gerada pela pandemia do coronavírus, mas a administração municipal conseguiu cumprir o compromisso de pagar os salários em dia.

O pagamento irá auxiliar os trabalhadores neste momento de crise e ajudar a movimentar a economia em Igarapé Grande e região.

“Agradeço o compromisso e o trabalho árduo de todos os servidores, especialmente de nossos profissionais da saúde, que seguem trabalhando incansavelmente na linha de frente”, disse o prefeito.

A gestão espera que o montante injetado na economia irá estimular os setores do comércio e de prestação de serviços.

Restaurantes populares passam a oferecer jantar a R$ 1,00 em todo o Estado, a partir desta segunda-feira (12)

De acordo com o secretário da SEDES, deputado Márcio Honaiser, a medida contribui no combate à fome no estado

A partir desta segunda-feira (12), os 53 Restaurantes Populares do Estado, irão oferecer jantar, por R$ 1,00 (um real). A medida é mais uma das ações anunciadas pelo Governo do Estado, como forma de enfrentamento à pandemia e seus impactos. Até então, apenas os restaurantes de São Luís ofereciam jantar.

Os Restaurantes Populares são coordenados pela Secretaria do Desenvolvimento Social (Sedes), e de acordo com o secretário, deputado Márcio Honaiser, as medidas adotadas contribuem para minimizar os impactos sociais e econômicos da pandemia entre a população.

“Não temos medido esforços para garantir alimentação saudável para a população em situação de vulnerabilidade social e econômica, ainda mais nesses tempos difíceis que estamos passando. Estamos enfrentando um dos momentos mais críticos desde o início da pandemia e a equipe da Sedes vem trabalhando de forma contínua, para reforçar as medidas implementadas pelo governador Flávio Dino”, disse o secretário.

Vale ressaltar que as refeições, estão sendo oferecidas em embalagens descartáveis, estando vedado o consumo nos refeitórios.

Ações – Além desta medida, a Sedes tem adotado outras ações socioassistenciais para minimizar os impactos da pandemia de Covid-19, entre elas, a implementação do Auxilio Vale Gás, que irá beneficiar 115 mil famílias sem renda própria inscritas no CadÚnico, doações de mais 110 toneladas de itens de alimentação e limpeza para instituições de acolhimento do Maranhão, entrega de Sistemas de Abastecimentos de Água (SSAA) e busca ativa de beneficiários do Tarifa Social de Energia Elétrica, programa que já está em sua segunda fase e garante desconto na conta de luz aos usuários de baixa renda.

Também estão sendo realizadas higienização e desinfecção dos prédios da Sedes, Restaurantes Populares e Solar do Outono e entrega de mais de 1.000 equipamentos do Programa Mais Renda.

Dez anos sem Jackson Lago (Artigo escrito pelo Engº Chico Leitoa)

Nesse 4 de abril fez dez anos que Jackson nos deixou e levou consigo toda uma história de resistência e luta em favor dos menos favorecidos. Juntamente com Brizola, Neiva Moreira  e outros líderes, fundou o PDT, Partido pelo qual foi eleito três vezes Prefeito de São Luis e Governador do Maranhão. Tive a honra de acompanhá-lo em suas três administrações da Capital. Testemunhei a forma abnegada com que ele se dedicava àqueles que a ele delegaram a missão de cuidar de seus destinos. Cuidou da Educação e da saúde como todo esmero, dedicou-se diuturnamente à melhoria da qualidade de vida de sua gente, implantando grandes obras de drenagem e pavimentação de bairros inteiros, principalmente os que mais precisavam. Fez dos mandatos um exercício de melhorar a vida das pessoas.

Participamos ativamente através do nosso grupo de Timon de suas três campanhas ao Governo do Estado. Em sua primeira campanha em 1994, apenas Timon, São José de Ribamar e São Bento lhe apoiaram na condição de governo Municipal, apesar de dois anos antes termos ganhado em 7 municípios inclusive a Capital São Luis em que Jackson fez a sucessora que não apoiou. Tivemos pouco mais de 20% dos votos, ficamos fora do segundo turno. Em 2002, em sua segunda tentativa, tivemos em torno de 40% dos votos, mas numa jogada, Jackson foi impedido de disputar o segundo turno. Finalmente em 2006, como um prêmio à sua história Jackson foi eleito Governador do Maranhão.

Com sua dedicação e compromisso fez o Estado experimentar dias de enormes avanços na educação, saúde e infra estrutura em todo o Estado e na capital, tocava o maior projeto social da América latina, o PAC Rio anil, em que por pressão externa, o Estado foi era obrigado a bancar 50% dos custos.

O Governo caminhava célere para a repetição do mandato pela via popular,, mas o inconformismo dos derrotados nas urnas fabricaram um processo sem qualquer consistência e em flagrante conivência com a Justiça Eleitoral, cassaram seu mandato da forma mais injusta e vergonhosa. Logo depois da cassação, Jackson se deslocou para São Paulo para avaliação do seu estado de saúde. Três meses depois retornou.

Depois do seu retorno, em agosto de 2009, fui lhe fazer uma visita. Estavam só ele e dona Clay. Conversamos por algum tempo e o convidei pra vir a Timon. Reagiu dizendo: fazer o que lá Chico? Falei: conviver um pouco com um grupo de amigos que lhe veneram dentro ou fora do poder. Acabei o convencendo e ele veio;  ficou três dias hospedado em Teresina e fizemos uma intensa programação tanto nos meios de comunicação de Teresina e Timon, como na sede do PDT municipal.

No terceiro dia, antes de retornar para a capital, acompanhado de inúmeros militantes deu uma parada na Ceasa. E o que seria uma rápida visita se transformou numa forte manifestação de carinho dos feirantes e consumidores. Centenas de fotos e muitos afagos. Jackson partiu recebendo acenos de solidariedade.

No ano seguinte, 2010, Jackson concorreu a Governador ‘sub judice’, e somente depois que terminou o horário gratuito, o mesmo TSE que o cassou, divulgou que Jackson era ficha limpa. Muitas dificuldades Maranhão afora, Jackson teve uma campanha muito difícil e sem qualquer estrutura. Teve um desempenho muito aquém do que sua história representa até hoje. Mesmo com todas as dificuldades, Jackson venceu em Timon como última homenagem da cidade que ele mesmo dizia ser sua segunda casa. Dez anos depois de sua partida, continuamos a defender suas bandeiras de lutas.

Presidente da Famem vai à luta pela realização do Censo 2020

O presidente da Famem e prefeito de Igarapé Grande, Erlanio Xavier, está apreensivo com a realização do Censo Demográfico pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE.

Por falta de recursos o levantamento poderá ser adiado. Pelo planejamento regular, o censo deveria ter ocorrido no ano passado, mas foi suspenso devido a pandemia do novo coronavírus.

No início deste ano, Erlanio Xavier firmou protocolo de intenção com a superintendência regional do IBGE para colaborar com a realização do censo no estado do Maranhão.

Além da mobilização dos gestores, a Famem viabiliza suporte material para realização do trabalho.

Por meio do censo é calculado o Fundo de Participação dos Municípios, FMP, principal fonte de recursos de quase todas as cidades do país.

Com a eventual suspensão do levantamento demográfico, haverá congelamento dos valores do fundo, prejudicando assim ainda mais as finanças dos municípios que tiveram queda de arrecadação e nos repasses de recursos constitucionais.

“Endossamos a luta da confederação Nacional dos Municípios para que o Censo 2020 seja efetivado em tempo hábil e com o rigor técnico exigido. Sem os parâmetros que o levantamento oferece para todas as políticas públicas, a gestão das cidades se torna quase inviável”, ressalta o presidente da Famem.

Os coeficientes estão congelados por força de Lei Complementar aprovada em 2019, na perspectiva de que a atualização dos dados fosse realizada no ano subsequente. O presidente da Famem aponta crescimento de despesas correntes em decorrência do evidente aumento da população.

Segundo o presidente, as despesas também aumentaram devido a pandemia que afeta vários setores da administração pública.

Como integrante da nova diretoria da CNM, Erlanio Xavier tem feito movimentos no sentido de conquistar apoio unânime da bancada maranhense tanto em âmbito estadual como federal para pressionar o Governo Federal a manter os recursos para realização do Censo em tempo hábil.

Vídeo: Pedro Lucas assume direção do PSL e partido fecha com Weverton ao governo

O deputado federal Pedro Lucas assumiu o comando do PSL. O anúncio foi feito nesta quarta-feira (07) pelo dirigente do PSL, Antonio Rueda, em reunião na residência oficial do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP), com a presença do senador Weverton (PDT).

Em conversa com o blog do John Cutrim, Pedro Lucas disse que o PSL fechou com a candidatura do senador Weverton ao governo do Estado, em decisão referendada pelo comando nacional.

O vereador Chico Carvalho, que tinha o comando do partido, passa a ser o vice-presidente do PSL.

O senador Weverton já agrega no seu projeto em 2022, além do PDT, o PSB, Cidadania, Republicanos, DEM e agora o PSL.

NOVOS PARTIDOS PREPARAM ADESÃO A PRÉ-CANDIDATURA DE WEVERTON

Após manifestações de apoio das direções estaduais do DEM, Republicanos, Cidadania e PSB, o senador Weverton Rocha (PDT) deverá receber nos próximos dias as adesões do PTB e PSL à sua pré-candidatura ao Governo do Estado em 2022.

Estes dois partidos fizeram parte da aliança articulada pelo senador em 2020 na campanha para prefeito de São Luís do deputado estadual Neto Evangelista (DEM). A estratégia, segundo apurou o blog, seria manter a pré-candidatura em foco e mostrar a viabilidade do projeto político.

O PTB, que era comandado ano passado pelo deputado federal Pedro Lucas, aderiu à candidatura de Neto espontaneamente, já o PSL, que estava acertado com Duarte Júnior, declarou apoio a mando da direção nacional. Para 2022, segundo comentam nos bastidores da sucessão, também estarão no mesmo palanque.

As conversações com a presidente estadual do PTB, deputada estadual Mical Damasceno, já estariam bastante avançadas, enquanto os entendimentos com o PSL, a exemplo de 2020, estão sendo costurados em Brasília com a direção nacional.

Com exceção do PSL, os demais partidos que já manifestaram apoio à pré-candidatura do senador ou que estão em vias de aderir integram a base de sustentação do governo, o que torna praticamente irreversível o projeto do pedetista de concorrer ao Palácio dos Leões em 2022.

É importante lembrar, no entanto, que o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) não esconde o desejo de ser o candidato do grupo do governador Flávio Dino e estará no comando do estado a partir de abril de 2022 quando o chefe do Executivo estadual irá se desincompatibilizar do cargo para concorrer ao Senado.

Como Brandão somente poderá disputar a reeleição, tudo indica que esse briga, caso o governador não consiga construir a unidade, promete lances emocionantes.

Por professor Jacinto Júnior – ADEUS, ‘ZÉ DOS POBRES’

ADEUS, “ZÉ DOS POBRES!”

É com mui pesar que recebi a triste notícia do desaparecimento de nosso convívio (03/04/2021), do ex-prefeito e ex-vice-prefeito e atual Secretário de Obras de nossa cidade: José Inácio Guimaraes Rodrigues (1950-2021) vítima da Covid-19.

Não poderia deixar de pronunciar-me a respeito dessa figura pública que, de modo singular, passou à história e fez história.

O nosso Brasil ainda vivenciava a sórdida e tenebrosa fase obscurantista sob a baioneta do famigerado regime militar (1964-1985) quando, então, o jovem futuro prefeito de nossa cidade desenvolvia atividades políticas em Belo Horizonte-BH. Naquele período, o sistema político permitia apenas a existência do bipartidarismo – com o afã de minimizar o processo político exercido com “mão de ferro” a quem o combatesse e/ou o criticasse. Ou seja, fora concebida a política do “Sim” e a do “Sim Senhor”; com a existência do MDB (Movimento Democrático Brasileiro) e a ARENA (Aliança Renovadora Nacional).

Durante suas férias, “Zé Inácio” imediatamente retornava para sua cidade onde estava radicalizado desde muito cedo (por isso, já era um filho de nossa terra), para se articular com as lideranças do MDB codoense que, a priori, eram a ”trincheira fértil” ao governo municipal, e dentre elas, cito a figura do vereador Jacinto Pereira Sousa (MDB e PMDB) – a histórica figura pública que resistiu ao regime e ao governo local. Era este líder que dava sustentação à oposição propositiva em nossa cidade contra a situação conservadora. E todos os debates e discussões de natureza política passavam por suas mãos, afinal, era considerado o mais importante elemento da resistência local (seu último mandato fora de 1982-1988) e depois dessa eleição, se despediu da política.

“Zé Inácio” já havia participado de duas eleições objetivando conquistar o Palácio Municipal. Em sua segunda eleição; “Zé Inácio”, se aliou ao líder sindicalista o Sr. Marcelino – representando a sublegenda. Porém, a terceira eleição (1988) o consagraria vitorioso ante o grupo mais reacionário em termos políticos. Ele governou nossa cidade de 1989 a 1992. Seu governo tinha como slogan um coração – acompanhado da frase: “Trabalhando com Amor” – que expressava o sentimento mais forte que pode ser definido pelo homem.

Ganhou a alcunha de “Zé dos Pobres”, por ter um discurso em defesa dos menos favorecidos. Neste sentido, sempre foi um exímio debatedor. Tinha uma capacidade impressionante quando fazia uso da palavra, pois fazia bem o uso da dialética. Articulado e meticuloso. Não tinha ódio, não escondia a verdade, possuía um senso de justiça imparcial, honestidade fora sua marca indelével. E na campanha vitoriosa, a letra de campanha composta e musicada por um cantor chamado “Jorge Maranhão” (falecido), o saudava com a seguinte frase de abertura: “Zé Inácio vem aí”…, um refrão que ganhou o coração dos codoenses e o fez o novo mandatário de nosso município.

Seu governo não fora feito só de flores, mais espinhos do que flores.

Nesse período quem governava o Estado era Edison Lobão (PFL). “Zé Inácio” fazia oposição ao governo estadual por uma questão partidária (PMDB) – seguia à risca a filosofia defendida pelos líderes de expressão nacional como Renato Archer, Ulysses Guimaraes, Valdir Pires e outros. Por conta dessa oposição, sofria retaliação do governo estadual e, por consequência, enfrentava dificuldade até mesmo para pagar um salário decente aos profissionais da educação que, naquela ocasião, encontrava-se em “pé de guerra” com o governo local. Devido à crise econômica que pairava no país, em 1992, a inflação chegou ao patamar de (1.119,10%) acumulada e, na média (854,63%) (https://oglobo.globo.com), lembro-me que, os professores ficavam plantados na Praça Ferreira Bayma – no Coreto -, esperando alguma atitude do governo. “Zé Inácio” propôs um projeto de lei que reajustava os salários por meio de um “gatilho automático” mensalmente, com o objetivo de recuperar o valor salarial dos bravos educadores codoenses. Na verdade, ele estava sintonizado com a proposta do governo federal em relação ao reajuste dos salários das categorias nacionalmente.

“Zé dos Pobres”, como ficara conhecido no meio político, era um homem sensível e profundamente dedicado à causa do povo despossuído de bens materiais. Que fique na memória de cada codoense seu legado político, o senso de justiça e equidade que transparecia em cada gesto e fala pronunciada!

“Zé dos Pobres” partiu para outras pradarias e, certamente, encontrar-se-á com os velhos parceiros de tantas lutas – Ulysses Guimaraes, Renato Archer, e, até mesmo com o ex-prefeito Antônio Joaquim, Ricardo Archer e, quem sabe, com o militante Gilberto Muniz – que, por várias vezes disputou esse almejado cargo majoritário -, e, conosco, ficará a imagem do homem talhado pela natureza no combate às injustiças sociais. Seu dever como homem público fora cumprido! Descanse em paz, “Zé dos Pobres”, adeus!

CODÓ EM FOCO: O Repasse Informativo entrevistou o futuro médico Pedro Neres sobre a nova cepa do Covid-19 e como proceder

                            Foto: Pedro Neres

 

1. RI– Pedro Neres, como futuro médico, como você avalia esse momento atípico na saúde?

PN– A avaliação que eu faço é de um cenário muito preocupante, atualmente estamos vivenciando novas cepas, que vem com uma carga viral muito mais forte que a primeira, temos números com recordes diários, já ultrapassamos 3 mil mortos diariamente, então é muito alarmante essa situação.

2. RI– Na sua percepção como está o sistema de saúde nas esferas públicas?

PN– Minha visão é que o sistema de saúde está entrando em colapso, no qual falta medicamento, leitos de UTI. Então é algo muito triste e desafiador para os profissionais de saúde, para o presidente, para prefeitos, governadores… É muito complicado.

3. RI– Nessa dualidade de pensamento do “fique em casa” ou “trabalhe pra comer”, como fazer?

PN– O combate a pandemia é complicado por vários fatores, de um lado sabemos da importância e necessidade do fique em casa, por outro lado, tem a pessoa que necessita de alimentos para sustentar sua família e precisa sair para trabalhar, e isso é frustrante, não poder alimentar seus familiares, mas eu vejo que se fizermos um sacrifício de uns 10 dias, focado em ficar em casa e se resguardar, eu acredito que superaríamos mais rápido essa crise pandêmica, para que a gente possa voltar aos trilhos do progresso e retomar o desenvolvimento econômico.

4. RI– No que pese esse momento de dor e perdas, qual a maior deficiência no contexto mundial?

PN– A maior perda vem da divisão de ideias pelo viés político e não por acreditarem em estudo médicos comprovados, hoje estamos divididos por causa da falta de equilíbrio de ideias, precisamos agir no combate à doença, e não somente no jogo de interesses ou, no caso do Brasil, nas futuras campanhas, seja pelo lado A ou B, assim penso eu.

5. RI– No seu entendimento a melhor forma de combate é a vacina ou os medicamentos?

PN– Com certeza a vacina, porque há estudos de vários cientistas mundiais que buscam a cura da Covid-19 através de eficácia comprovada, e precisamos vacinar o mais rápido possível a todos para combatermos esse grande mal.

6. RI– No momento, quais as dicas que você daria? Já que tem vivenciado essa luta diariamente.

PN– Como a melhor forma de combate, a prevenção através do uso de mascaras, álcool em gel e o de líquido de 70 INPM, manter o distanciamento social, evitar aglomeração, festas, respeitar as normas de combate, e ser consciente para não propagarmos o vírus, para sairmos o mais rápido possível dessa crise sanitária.

7. RI– Qual a mensagem que você, como profissional da área da saúde, direciona a esses profissionais?

PN– A mensagem que eu dedico a esses guerreiros da saúde, que arriscam diariamente suas vidas para salvar a vida de terceiro é: Lutem, pois só posso ser grato, e peço, aguentem firme, que tenham muita fé em Deus que vamos sair logo dessa situação, e um parabéns por salvarem o mundo, e um forte abraço a todos os profissionais da saúde. Vamos vencer.

Veja alguns fleches de Pedro Neres com algumas Personalidades do Maranhão

Foto:  Prefeito de Codó Dr. Zé Francisco, Prefeito de Caxias e Pedro Neres no Palácio dos Leões em são Luís.

Foto: Pedro Neres e o Secretário de Saúde de Codó Dr. Mário Braga

Foto: Prefeito de Codó Dr. Zé Francisco  e o filho Pedro Neres

Foto: Deputado Federal Rubens Júnior, Pedro Neres, Othelino Neto Presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão e Prefeito de Codó Dr. Zé Francisco.

EM CODÓ, FILHO DE ZÉ FRANCISCO DESARMONIZA EQUIPE E CULPA GRUPÃO PELA BAIXA QUALIDADE NO MATERIAL DE MÍDIA – Blog do de Sá

Foto: Pedro Neres e a mãe a  Primeira Dama de Codó e Secretária de Ação Social Irene Neres

Flávio Dino rechaça pesquisas para escolha de seu sucessor em 2022

Informantes bem posicionados nos corredores do Palácio dos Leões asseguram que o governador Flávio Dino (PCdoB) repeliu o uso de pesquisas de intenção de voto como causa sine qua non para a escolha do seu sucessor.

No Bom Dia Mirante, da manhã desta quarta-feira (17), o jornalista Clóvis Cabalau anunciou que a Escutec fará pesquisa, via telefone, para apurar quem está no pensamento do eleitorado para comandar o estado pelos próximos 4 anos.

Flávio Dino, que concorrerá ao senado, deixou bem claro em reunião fechada que o vice, Carlos Brandão (PSDB), será seu nome à sucessão. A reunião, ontem (16), com o deputado federal licenciado e atual secretário das Cidades, Márcio Jerry (PCdoB), deixou bem claro que o assunto é pauta vencida e a chapa está fechada. A opinião de Dino já estaria formada.

site sondou que o senador Weverton Rocha (PDT) – que tem o sonho de sentar na cadeira de Dino -, assim como o presidente da Assembleia Legislativa, Othelino Neto (PCdoB) – entusiasta do projeto pedetista -, querem pesquisas eleitorais para decidir quem será o candidato do grupo que, ainda, é liderado por Dino.

Sem pesquisa, já decidiu o governador, navalha a fonte palaciana.

Fonte: Neto Ferreira